Rally Targa – Vieira do Minho

ARC Sport com dupla vitória em tempestade minhota. Ricardo Moura volta a vencer – Renato Pita estreia com vitória no CPRr2

Uma verdadeira tempestade de granizo que se abateu sobre Vieira do Minho, encerrou a edição de 2012 do Rally Targa, com Ricardo Moura a repetir o triunfo da época passada, num rali atípico, que acabou por ter um desfecho fora do comum.

Se a vitória do Campeão de Portugal acaba por ser normal, o mesmo não se pode dizer do saboroso triunfo de Renato Pita que, em estreia absoluta no CPR2, levou o Renault Clio R3 à vitória nesta especialidade.

As condições atmosféricas mexeram com o desfecho da prova, com os Citroen DS3 de Ivo Nogueira e Paulo Neto a saírem de estrada na derradeira especial, bem como o Mitsubishi de Miguel Barbosa.

Uma colheita perfeita para a ARC Sport que consegue obter duas vitórias em Vieira do Minho, apesar de grandes dificuldades sentidas por Ricardo Moura e António Costa, que depois de um controlo inicial da prova, viram o motor do Mitsubishi Lancer privado de um cilindro, o que obrigou o Campeão Nacional a perder demasiado tempo. Contudo, nas duas últimas especiais, Ricardo Moura acabou por cimentar uma vitória que se saldou com quase dois minutos de vantagem frente a Pedro Peres. Uma vitória difícil, com muito granizo, mas essencialmente muito gostosa.

Estamos muito felizes por esta vitória, a segunda consecutiva em Vieira do Minho. Desde o inicio conseguimos impor um ritmo forte, que nos permitiu liderar o rali até obter mais de meio minuto de vantagem após a quinta especial. Nos dois troços seguintes sentimos problemas de motor, que ficou a trabalhar a três cilindros, o quês fez com que a diferença ficasse reduzida para pouco mais de dois segundos. Nos dois últimos troços conseguimos sobreviver à tempestade de granizo e conquistar uma vitória essencialmente justa, o que muito nos orgulha”, afirmou Ricardo Moura.

 

Para Renato Pita foi tudo novidade neste Rally Targa – Vieira do Minho. Estreou-se numa nova especialidade, o CPR2, estreou um novo navegador, Alberto Silva, estreando-se também aos comandos do Renault Clio R3 preparado pela ARC Sport. E se tudo foi novidade para o piloto de Viana do Castelo, a surpresa da tempestade de granizo acabou por baptizar a sua primeira vitória numa prova do Campeonato de Portugal de Ralis. Nada podia ter sido mais perfeito.

Acho que começámos a colhaer os frutos do nosso trabalho. Os ralis só terminam no parque fechado, e foi o que aconteceu aqui em Vieira do Minho. Temos de ser frios e calmos para atingir os nossos objectivos, e foi isso mesmo que fizemos no último troço do rali. Quero agradecer a todos os que estão comigo neste projecto e ao meu navegador Alberto Silva, que conseguiu gerir todas as minhas emoções nesta prova”, declarou Renato Pita, visivelmente feliz com esta vitória.

Uma prova com um desfecho fora do normal, mas que acabou por assentar bem à equipa de Aguiar da Beira, tal como admite Augusto Ramiro:

Não podia ter sido melhor! A vitória do Ricardo Moura foi mais do que justa, e o Renato Pita conseguiu mostrar o valor que tem numa prova muito exigente. Para mim ele não foi uma surpresa. Saímos de Vieira do Minho na liderança dos dois campeonatos, o que é excelente”.

A ARC Sport sai do Minho com um saldo muito positivo, com as lideranças absolutas e do CPR2 no Campeonato de Portugal de Ralis, com Ricardo Moura e Renato Pita.

Fotos Albano Loureiro

 


 


Informação e divulgação gratuita de eventos e actividades dentro do espírito  TTVerdePT.  Declinamos qualquer responsabilidade referente a elementos publicados e que nos sejam disponibilizado por terceiros.
Este site também não se subordina aos novos acordos ortográficos, aos quais é indiferente..