Rali da Tunísia – Elisabete Jacinto

Elisabete em missão de serviço Com muitos concorrentes perdidos,  a organização decidiu neutralizar a prova e não disputar ao cronómetro o sector selectivo do derradeiro dia na Líbia. 

Elisabete em missão de serviço 
Prova neutralizada até à Tunísia

Elisabete Jacinto mantém assim a segunda posição da classificação geral, atrás do checo Tomas Tomecek (Tatra), liderando ainda a classe dos camiões com menos de 10 litros de cilindrada.

Todavia, o dia não foi de mero passeio para a piloto do Team Oleoan / MAN Portugal e o seu papel continua a merecer destaque no Rallye de Tunisie, prova da Taça do Mundo de Todo o Terreno:

Elisabete em missão de serviço

“Ainda não tinhamos entrado no percurso, que correespondia ao do sector selectivo e aterrou à nossa frente o helicopetro do director de prova a pedir para voltarmos para trás, para ajudar a colocar em condições de retomar o percurso o camião vassoura que se havia voltado, numa zona de dunas. A nós juntou-se o Tatra do Tomecek e mais outro camião da organização e lá participámos numa complicada operação de cabos, que acabou por ser bem sucedida. Com tudo isto, só por volta das 11 horas regressámos à pista, para efectuar os mais de 500 quilómetros de especial que, embora não cronometrados, fizemos bem depressa já que era um traçado bastante rápido e com algumas passagens de dunas pelo meio. A nossa missão de serviço completou-se com mais uma paragem, desta vez para ajudar o Helder Oliveira a quem faltava um parafuso para segurar o motor do seu Toyota. Amanhã regressamos a pistas que bem conheço e estou confiante que vamos continuar a ter uma boa prestação e que vamos conseguir manter o segundo lugar”, salienta a piloto.

Classificação após a 6ª etapa
1º Tomecek/Moravek/Smolka (Tatra), em 18h35m01s; 
2º Elisabete Jacinto/Álvaro Velhinho/Marco Cochinho (MAN), a 2h13m49s (1º Classe
4.2)

3º Govaere/Vyncke/Espeel (MAN), a 2h49m37s; 
4º Essers/De Pauw/Baeten (MAN), a 9h59m55s; 
5º Darroux/Coquelle/Gonzalez (Renault), a 13h22m01s. 

Amanhã a caravana começa o dia com a passagem da fronteira entre o Líbia e a Tunísia. Entre Sinawin e El Borma será percorrrida a sétima etapa (488 kms) onde será disputada uma especial cronometrada com 314 quilómetros. Um sector selectivo que começa com uma pista rápida e técnica pontuada por diversos fortes militares. Segue-se a areia com a transposição do Erg de El Borma e de novo pista até aos arredores da maior base prtrolífera da Tunísia onde se encontra também um explêndido palmeiral. 

Pedro Barreiros 
E-mail: pedro.barreiros@a2.com.pt  


Informação e divulgação gratuita de
eventos e actividades dentro do espírito  TTVerdePT. 
Declinamos qualquer responsabilidade referente a elementos publicados e
que nos sejam disponibilizados por terceiros.